How To Disable Secure Boot In Windows 8.1 In Acer Laptops

In this article, we shall see how can we disable UEFI secure boot for Acer laptops (and perhaps systems from other manufacturers).

Disable secure boot in Windows 8.1 in Acer

Steps to disable secure boot in Acer are similar to other systems, except for the end steps. Let’s see how to disable the secure boot in Windows 8.1 system. If you know how to boot in to UEFI, you can skip directly to Step 5. If not, follow each steps then.

Step 1:

Press Windows+I to open settings charm in right side of the screen and in the bottom click on Change PC settings.

Step 2:

In here, click on Update and recovery from the left side pane.

Step 3:

In Update and recovery select Recovery option in the left pane and Restart now from under the Advanced startup option. Nope, it won’t restart immediately.

Step 4:

After few seconds you’ll see a blue screen with some options. Choose Troubleshoot option here.

Suggested read
Fix Grub Not Showing For Windows 10 Linux Dual Boot

In Troubleshoot, select Advanced options.

In here, select UEFI Firmware Settings.

Click on Restart button and this will restart your system and boot you directly in UEFI settings.

Step 5:

The main task comes now. Things are slightly different for you here as by default Acer does not allow you to disable secure boot. When you boot in to UEFI settings, you’ll see a screen like this:

Using arrow keys, move to Security tab. Look for Set Supervisor Passwordhere.

Set a Supervisor password. This is mandatory in order to disable secure boot or else secure boot option will always be greyed out. Also, either save this password somewhere safe where you can access it years later as well or simply clear it after disabling secure boot.

Once you have set the supervisor password, move to Boot tab now. This time you’ll see that you can actually access the Secure Boot option and change its value. Press enter and change its value to Disabled.

Press F10 to save and exit the UEFI settings.

I hope this tutorial helped you to disable secure boot option in UEFI in Acer notebooks. Feel free to drop your questions and suggestions in the comment box below.

 

Fonte:

https://itsfoss.com/disable-secure-boot-in-acer/

Posted in Sem categoria | Leave a comment

Instalação Dual Boot Linux Mint 18.2 Windows 10 com UEFI

Deseja instalar Ubuntu ou Linux Mint ao lado do Windows 8.x ou 10, para criar um computador com Dual Boot? Então, primeiro você precisa alterar algumas configurações no Windows 8.x ou 10 e quando tiver um Windows 8.x ou 10 pré-instalado, também no BIOS UEFI. Do seguinte modo:

Esse tutorial será feito como UEFI habilitado e com o Secure Boot desabilitado.

Como saber se o seu computador tem UEFI?

Em primeiro lugar é muito importante saber se o seu PC tem um BIOS UEFI.

No Windows vá até o Menu Iniciar e na caixa de pesquisa na parte inferior e digite “Informações do sistema” e quando o ícone aparece na parte superior clique sobre ele.

windows10iniciar01

Na metade do painel à direita, há um item chamado de modo BIOS. Se ele diz que UEFI, então está tudo ok, veja a imagem abaixo.

2

Os passos necessários para dual boot do Windows 10 e Linux Mint 18.2 são as seguintes:

  1. Backup dos arquivos do Windows 10 (opcional, mas altamente recomendado);
  2. Criar um Pendrive USB do Linux Mint 18.2 de 64 bits;
  3. Desabilitar o Secure Boot;
  4. No Windows desative a opção “Inicialização Rápida” (Fast Startup);
  5. No Windows desligue qualquer criptografia;
  6. No Windows desativar o Modo de Hibernação;
  7. No Windows usar o Desfragmentador do Windows 10;
  8. No Windows redimensionar uma partição;
  9. Dar o boot a partir do Pendrive USB do Linux Mint 18.2;
  10. Instalar o Linux Mint 18.2.

1. Backup Windows 10.

É altamente recomendado que você faça uma cópia de todos os seus arquivos antes de fazer os procedimentos a seguir.

2. Criar um Pendrive USB do Linux Mint 18.2.

Existem muitas ferramentas para a criação de um pendrive USB do Linux Mint incluindo, Win32 Disk ImagerEtcher e Rufus.

Lembrando que o pendrive deve está no formato GPT. E formatar o pendrive em FAT32.

3. Desabilitar o Secure Boot.

Agora, desative Secure Boot no UEFI. quando o seu UEFI o permite, aconselho a desativar o Secure Boot (inicialização segura) em todos os casos.

Nota: em alguns casos, você precisa definir uma senha de administrador no UEFI antes de poder desativar a inicialização segura. 

Veja a captura de tela abaixo, do UEFI de um notebook Acer TravelMate.

UEFI-Secure_Boot

Coloque o Windows Boot Manager na parte inferior da ordem de inicialização.

Em seguida, você coloca o Windows Boot Manager (Gerenciador de inicialização do Windows) permanentemente na parte inferior da ordem de inicialização. Veja a captura de tela abaixo do UEFI de um notebook Acer Travelmate.

UEFI-Boot_Priority_Order

Ative a chave para alterações de prioridade de inicialização únicas.

Finalmente, habilite a chave para mudanças temporárias, na ordem de prioridade de inicialização. Para os notebooks da Acer que geralmente é F12, mas isso varia entre os fabricantes. Veja a captura de tela abaixo.

UEFI-F12

Obs.: Para que as mudanças tenham efeito pressione F10 (Salvar e Sair).

4. Desative a opção Fast Startup (Inicialização Rápida).

  1. Digite Opções de energia na caixa de pesquisa e pressione Enter;
  2. Selecione Escolher a função dos botões de energia;
  3. Clique em Alterar configurações não disponíveis no momento;
  4. Role para baixo para Configurações de desligamento, e desmarque a opção Ligar inicialização rápida, para desativar a função;
  5. Clique em Salvar alterações.

5. Desligue qualquer criptografia.

6. Desativar o Modo de Hibernação.

Segue aqui um tutorial explicando como desativar a Hibernação

7. Usar o Desfragmentador do Windows.

É importante antes de redimensionar uma partição do Windows usar a ferramenta: Desfragmentador.

A fragmentação faz com que o disco rígido tenha um trabalho adicional que pode deixar o computador lento. O Desfragmentador de Disco reorganiza dados fragmentados para que os discos e unidades trabalhem de forma mais eficiente. O Desfragmentador de Disco é executado por agendamento, mas você também pode analisar e desfragmentar discos e unidades manualmente. Para isso, siga estas etapas:

Para abrir o Desfragmentador de Disco, clique no botão Iniciar. Na caixa de pesquisa, digite Desfragmentador de Disco e, na lista de resultados, clique em Desfragmentador de Disco.

8. Encolher o Windows para criar espaço para o Linux Mint 18.2.

Se o seu computador tem apenas um disco rígido, você terá de encolher sua partição do Windows 10, a fim de abrir espaço para o Linux Mint, ou seja, redimensionar uma partição do Windows 10.

A ferramenta utilizada para encolher partições Windows é “Gerenciamento de Disco“.

Para iniciar o “Gerenciamento de Disco“, clique direito sobre o botão Iniciar do Windows no canto inferior esquerdo da tela e clique sobre a opção “Gerenciamento de Disco“.

1-shrink-volume-to-resize-partition

Será exibida uma tela que lista todos os discos disponíveis e as partições no disco que está selecionado dentro da janela.

O disco rígido é geralmente disco 0. Normalmente, é fácil de detectar, porque é maior do que as outras unidades e já tem um número de partições nele. Como você pode ver na imagem acima, existem 4 partições. A quantidade de partições no disco rígido podem ser diferentes.

Por exemplo, a imagem acima mostra as partições no computador que usou para executar o Windows (UEFI) e captura de tela abaixo mostra as partições no computador que usou para executar o Windows (BIOS).

2.shrinkdisk1

O que você está procurando é a partição NTFS que é tanto ativo e primário. Na maioria dos casos, é a unidade C. É também provável a ser a maior partição na unidade.

3-create-windows-partition-for-ubuntu-16-04-installation1

Botão direito do mouse na partição que contém o Windows (como descrito acima, provavelmente a unidade C, formato de arquivo NTFS, primária e ativa).

Clique na opção “Shrink Volume“.

4 -diskmanagement4

Quando a caixa de diálogo aparece encolher ele terá o valor máximo de espaço disponível para encolher listado com uma seta para cima e para baixo para aumentar ou diminuir a quantidade de espaço disponível para Linux Mint.

Não cometa o número se o “Enter a quantidade de espaço a encolher em MB” (caixa de 3) maior do que o “Tamanho do espaço do psiquiatra disponível em MB” (Caixa 2).

Você pode fazer a quantidade de espaço disponível para Linux Mint menor embora. O mínimo exigido pelo Linux Mint é de 10 gigabytes, que é de 10000 megabytes. Na realidade você deve estar olhando para dar pelo menos 20 gigabytes (20000 megabytes) para o Linux Mint para uma experiência decente e se você tem isso gostaria de ir para 50 gigabytes (50000 megabytes).

Claro, se assim o desejar, você pode deixar as quantidades recomendadas como elas são.

Quando tiver decidido sobre um montante inseri-lo na caixa e clique em “Shrink“.

5-windows-partition-for-dual-boot-ubuntu-16-04

9. Inicializar (Boot) no Pendrive do Linux Mint.

Certifique-se de que o pendrive USB do Linux Mint está conectado ao computador.

Cada fabricante tem uma versão diferente do UEFI e assim as opções do menu podem ser diferentes.

Uma lista de dispositivos será exibido. Selecione a opção UEFI Dispositivo USB.

10. Instalar o Linux Mint 18.2.

Quando a primeira tela de inicialização com o menu do GRUB aparece, selecione Iniciar Linux Mint 18.2 de 64 bits e pressione a tecla Enter para iniciar o Linux Mint no modo Live.

Select-Start-Linux-Mint-Cinnamon-Install

Na área de trabalho do Linux Mint, dê um duplo clique no instalador e aparecerá a seguinte tela.

Escolher o idioma:

install1

Na próxima tela, se deseja instalar o software de terceiros para gráficos e hardware WI-FI, Flash, MP3 e outros meios de comunicação.
Essa opção fica a seu critério marcar ou não, especialmente se você tiver um computador moderno, ajudará a obter seus drivers wireless e gráficos, trabalhando para sua melhor performance.
Clique em “Continue”.

install2

Agora na imagem abaixo, você vai escolher como o Linux Mint irá instalar.

Vamos pela opção: Something Else (Algo mais) para criar as partições do Linux Mintmanualmente.

install3

Agora na imagem abaixo mostra o layout atual do disco. Veja que está em destaque uma partição de “espaço livre“.
A primeira coisa a verificar é o drop-down na parte inferior da tela, onde será instalado o Gerenciador de Boot (Grub). Certifique-se de que ele aponta para a partição com o tipo EFI (/dev/sda1), listado na tabela abaixo.

install4

Com o “espaço livre” selecionado, clique no sinal + (mais). Quando a janela “Criar partição” abrir, escolha o tamanho: insira um número, por exemplo, 586000 megabytes na caixa tamanho. Selecione “primário” como o tipo de partição, para o Localização na nova partição: “início deste espaço” e configure use as: “EXT4” e “/” como o ponto de montagem. Clique em OK. Isso criará a partição raiz.

install5

Agora, selecione “espaço livre” e clique no sinal (mais) para abrir a janela “Criar partição“. Deixe o valor especificado para ele (deve ser em torno de 8000) ou (8 GB) como o espaço do disco, selecione “primário” como o tipo de partição e configure use as para “swap“. Clique em OK. Isso criará a partição swap .

install7

Atenção: Certifique-se mais uma vez de que o “Dispositivo para instalação do carregador de inicialização” esteja configurado para o dispositivo com o “tipo” definido como EFI.

Clique em “Instalar agora

Vamos agora confirmar as alterações.

 

Uma janela aparecerá mostrando quais partições serão criadas.
Clique em “Continue”.

Definir o seu fuso horário.

install9

Clique em “Continue”.

Escolha o seu layout de teclado, selecionando o idioma do teclado do painel esquerdo e, em seguida, e o tipo de teclado do painel direito.

install10

Clique em “Continue”.

O passo final é criar um usuário.
Digite seu nome e dar o seu computador um nome. O nome do computador é como ele será exibido em uma rede doméstica.
Escolha um nome de usuário e escolha uma senha. Você precisa confirmar a senha.

install11

Clique em “Continue”.

O instalador irá agora começar a copiar os arquivos e instalá-los para seu computador. Quando o processo for concluído, você receberá a opção de reiniciar agora ou continuar com os testes.
Você agora pode reiniciar seu computador, certificando-se de que você removeu o pendrive USB depois que o computador foi desligado.

install12

Se após reiniciar não aparecer a opção do Grub do Linux Mint.

Segue aqui um passo a passo para configurar a BIOS/UEFI para Notebook Acer Aspire:

Depois de instalar em seu sistema, você verá que o Linux Mint pode por algum motivo não inicializar em seu sistema.
1) Reinicie o sistema e pressione F2 para entrar na BIOS/UEFI
2) Siga até a guia Security e desça até Set Supervisor Password (definir a senha do supervisor), e dê ENTER, então, defina uma senha e confirme
3) Desça até Select an UEFI file as trusted for executing e pressionar ENTER
4) Selecionar HDDO e pressione ENTER
5) Selecionar EFI e pressionar ENTER
6) Selecionar ubuntu e pressionar ENTER
7) Selecionar grubx64.efi e pressionar ENTER
8) Na caixa que abrirá escreva um nome (renomear), por exemplo, ubuntu, pressionar ENTER e depois pressionar YES
9) Pressione F10 e YES para salvar as mudanças
10) Após o reinício, pressione F12 para abrir o gerenciador de inicialização (Boot Manager) do notebook Acer
11) Então é escolher a opção para iniciar o notebook, com o Ubuntu ou com o Windows.

Obs.: Se mesmo assim, não aparecer a opção do Grub, reinicie o notebook e pressione F2, para entrar na BIOS, vá até a guia Boot e coloque a opção: EFI File Boot 0: ubuntucomo primeiro e antes do Windows Boot Manager,  para mudar use as teclas F5 e F6. Deixe o Disco Rígido (HDD) por último. Pressione F10 para salvar as mudanças e reinicie o notebook.

Fonte:

https://lcomlinux.wordpress.com/2017/07/11/instalacao-dual-boot-linux-mint-18-2-windows-10-com-uefi/

Posted in Linux | Leave a comment

Tudo que você queria saber sobre Git e GitHub, mas tinha vergonha de perguntar

Este artigo traz a você tudo que precisa saber para se tornar um desenvolvedor que possa dominar tanto o git, quanto o Github. Nosso objetivo é trazer os conhecimentos necessários para que você possa, a partir do zero, dominar os conceitos gerais do git, e usar o github para “hospedar” seus projetos pessoais e acompanhar outros projetos de seu interesse.

 

Veja mais em: http://tableless.com.br/tudo-que-voce-queria-saber-sobre-git-e-github-mas-tinha-vergonha-de-perguntar/

Posted in Desenvolvimento, versionamento | Leave a comment

Instalando e Configurando o Kile(LaTex) no Ubuntu

Neste tutorial eu irei ensinar como instalar e configurar um editor LaTex na versão Linux Ubuntu, independente da sua versão.

Resolvi escrever este tutorial depois de ver muitos colegar com dificuldade em usar o Kile, na versão linux. Para instalar o Kile no Ubuntu e suas variantes, abra o Terminal de comando e digite:

 sudo apt-get update
 sudo apt-get install kile

sudo apt-get install texlive-latex-extra

 sudo apt-get install texlive-lang-portuguese 

 sudo apt-get install texlive-fonts-recommended

 sudo apt-get install latex-beamer (Instalar o suporte para apresentações com Beamer)
 sudo apt-get install texlive-extra-utils texlive-generic-extra texlive-lang-portuguese
sudo apt-get install texlive-latex-extra texlive-math-extra texlive-pictures
sudo apt-get install texlive-plain-extra texlive-publishers texlive-science

Digite nesta sequência os comandos para instalar o Kile, pois os quatro primeiros comandos servem para atualizar e instalar os extras para o uso do Kile, o terceiro traduz ele para o Portugues do Brasil(pt-BR) e o quarto comando instala as suas fontes, que são caracteristica do editor LaTex, e o ultimo comando instala oKile propriamente dito.

Para configurar o Kile após a instalação faça o seguinte:

A configuracao do Kile é simples, na barra de ferramentas modifique as seguintes opções dos combo-boxes:
– PDFLatex -> Latex
– ViewHTML -> ViewPDF
– Convert -> DVItoPDF

Em seguida modifique o visualizador de PDF de okular para evince:
- Settings -> Configure Kile -> Tools -> Build, entao clique em ViewPDF e modifique o commando deokular para evince, clique OK e pronto.

 

Para quem quer aprender sobre LaTex, neste referido blog, na parte de Links, temos varias aportilas, sites e exemplos de textos(Templates) em LaTex(monografias, Slides, Posts, Artigos Científico e etc).

Fonte: http://lucianux.blogspot.com.br/2011/12/instando-e-configurando-o-kilelatex-no.html

Posted in IFSP, LaTeX, Modelos, Normas ABNT, Trabalhos | Leave a comment

Atom: o novo editor by Github

Algumas informações sobre o Atom, o novo editor do Github.

Imagem post: Atom: o novo editor by Github

É quase impossível não comparar o Atom com o Sublime. O Sublime cravou um padrão com seus shortcuts, sua interface e sua coleção de comandos que é muito difícil ignorar. O Atom tem a cara do Sublime. Diferente do Brackets, que é bem diferente tanto na interface quanto nos shortcuts. Estou usando o Brackets para algumas coisas e estou gostando bastante. Mas a curva de aprendizado, quando acostumado com o Sublime, é muito grande. Com o Atom você já vai conhecer meia dúzia de shortcuts, facilitando muito a migração.

Sinceramente eu não me lembro quando o Sublime tomou conta de tudo. Um dia, todo mundo acordou com o Sublime instalado, sabendo todos os atalhos e as manhas do editor. Não teve tempo de aprendizado. Ninguém mais fica brigando qual editor é melhor… Todo mundo sabe que VIM é coisa de louco e Sublime coisa de gente normal (brincadeira). É inegável que o Sublime entendeu como digitávamos código, retirando tudo que era ruído e deixando apenas o que interessava. Isso começa pela interface e termina na forma com que executamos e manipulamos comandos.

O Atom seguiu o mesmo caminho. Ele pegou tudo que era bom do Sublime e ainda teve ideias originais e geniais para facilitar ainda mais a nossa vida. É como se o Atom fosse uma nova versão do Sublime. É difícil até de pensar o que o Sublime mudaria para melhorar e até concorrer com o Atom.

Essa similaridade entre os editores não é ruim. Mas o que vai importar mesmo são as features extras que cada um pode trazer no futuro. Descrevi algumas features legais que me chamaram mais a atenção e que se diferenciam totalmente do Sublime.

Atom editor github

Aparência e themes

Não há muito o que falar sobre aparência geral do editor. Ele é bem parecido com o Sublime Text, só que com uma vantagem: você consegue customizar praticamente QUALQUER COISA usando CSS.

Seguindo o menu Atom > Open Your Stylesheet, o Atom abre um arquivo CSS onde você customiza o que quiser na tela. Muda cor de texto, font, background, margin, padding, TUDO.

Screen Shot 2014-02-27 at 14.42.08

Aí vem a pergunta: Mas como vou saber os elementos que devo formatar? Simples, abra um Inspector. Siga o menu View > Developer > Toggle Developer Tools. O Inspector que se abre é o padrão do Webkit.

Atom editor github

Desse jeito fica muito, muito fácil personalizar o visual do editor e até criar um novo tema para compartilhar por aí.

Um detalhe: você pode escrever CSS puro ser quiser, sem problema, mas para os mais ousados, fique à vontade para escrever em LESS. Muito útil se quiser fazer um tema para o editor.

Styleguide

Indo para o menu Packages > Styleguide > Show, o Atom te mostra um guia de estilo do tema atual. Ele mostra o markup do HTML e também o CSS que faz esse HTML ficou bonitão. Isso serve para ajudar os criadores de temas a revisarem seus estilos e como eles se comportam nos elementos do editor.

Screen Shot 2014-02-27 at 17.35.28

Settings

Essa parte é sensacional. O Sublime não tem uma área para controlar as configurações do editor. Você muda essas preferências direto no arquivos de configuração do editor. Isso é genial na primeira vez, mas depois você sente alguma falta de apertar botões, saber que tudo tá funcionando, ter certeza de que não alterou nada que vá destruir seus shortcuts, tema e outras configurações. Já o Atom tem a famosa tela de configurações, como qualquer outro programa. Nele você gerencia os packages (plugins), temas e shortcuts.

Screen Shot 2014-02-27 at 14.41.28

As vezes, quando você precisa fazer algo muito personalizado é legal editar os arquivos de configuração do próprio editor, aí o Atom, como no Sublime Text, permite que você modifique as configurações personalizadas em arquivos específicos. Você pode gravar scripts, customizar seus próprios shortcuts, snippets etc.

Keybindings

Logo de cara você já tem a listagem dos shortcuts do editor, com um search decente que te ajuda a encontrar os comandos. No Sublime Text você ficava vasculhando no arquivo de configuração ou procurando no Google. Não era difícil, mas era pouco confortável.

Tudo são módulos

O Atom chama seus plugins de Packages. Estes packages fazem parte das configurações do editor ou são apenas plugins que estendem as funcionalidades já existentes. Todos estes packages são módulos independentes e todos eles estão no Github, prontos para serem forkados, compartilhados e etc…

Atom editor github

Outro detalhe importante é que ele mostra quantos milisegundos a mais o Atom demorará para iniciar com aquele módulo habilitado. Nunca mais você vai deixar seu editor pesado sem saber o motivo.

Como não podia faltar, ele já vem com um search para encontrar novos packages. Basta procurar, clicar em Install e pronto. No Sublime, você precisa instalar o Package Control.

Timecop

A ideia do Atom é que você domine totalmente o editor. Para isso, é legal saber o que exatamente está rodando nele. O Atom ajuda você a manter o controle com uma feature chamada Timecop.

O Timecop mostra quanto de tempo cada package demora para carregar. Isso permite descartar aqueles packages que não usamos tanto, mas que estão fazendo nosso editor ficar uma carroça.

Screen Shot 2014-02-27 at 17.27.38

Comandos básicos e atalhos

Aqui não tem nenhum segredo porque é tudo muito parecido com o Sublime Text: aperte cmd+shift+p e procure o comando desejado. Dá para encontrar ali seus shortcuts/keybindings customizados também.

Com o atalho cmd+t você consegue procurar um determinado arquivo no seu projeto. Igual ao Sublime, nem precisa decorar.

Adicionando, movendo e deletando arquivos

Para manipular os arquivos direto pela tree view, basta selecionar o arquivo e apertar a tecla a para adicionar um novo arquivo, m para mover e delete para deletar o arquivo/pasta.

Review em vídeo

O Zeno fez um vídeo, está em inglês, sobre o Atom. Dá uma olhada aí:

Conclusão

Eu já sai do Sublime e fui pro Atom. Ainda vou continuar acompanhando o Brackets. Existem coisas nele que prometem nos ajudar demais, como essa feature matadora do vídeo abaixo:

Você pode tratar o Atom como um Sublime melhorado… você não estaria errado. Mas acho que o futuro dele promete e talvez o Sublime não será mais onipresente como hoje.

By Diego Eis

Fonte: http://tableless.com.br/atom-o-novo-editor-github/

Posted in Desenvolvimento, Editores, Linux, Software Livre, Windows | Leave a comment

Conectando dispositivos USB em uma máquina virtual, Linux Host

Primeiramente deve-se instalar o Extension Pack do VirtualBox, veja como fazer em: Instalando o pacote de extensões (Extension Pack) do VirtualBox [Windows e Linux]

Depois siga as seguintes etapas:

  1. Close virtualbox
  2. Execute in bash: sudo adduser YOURUSERNAME vboxusers
  3. Log out and log in again
  4. Attach to your PC the USB devices you want to be automatically mounted in the VM (virtual machine).
  5. Open Virtualbox
  6. Select your VM and go to “Machine” -> “Settings” -> “USB”.
  7. Check “Enable USB Controller”; click on the icon with the USB plug and the plus, and click on the devices you want to be automatically mounted in the VM. Click “Ok”.
  8. Click on “Start” toolbar button, and ensure your USB devices are recognized and mounted by the VM. Remember that you have to unmount them in the host OS too if you have to disconnect them after you exit the VM.

Fonte: http://stackoverflow.com/questions/20021300/usb-devices-are-not-recognized-in-virtualbox-linux-host

 

Posted in IFSP, Linux, Software Livre, Virtualbox | Leave a comment

Instalando o pacote de extensões (Extension Pack) do VirtualBox [Windows e Linux]

Passo 1. Faça o download do VirtualBox Extension Pack

Selecção_485

Passo 2. Vá para a pasta onde foi baixado o arquivo e dê um duplo clique nele;

vbox09

Passo 3. Será aberto o VirtualBox e exibida uma mensagem mostrando o que será instalado. Clique no botão “Instalar” para confirmar;

vbox10

Passo 4. Na próxima tela, leve a barra de rolagem para baixo até o fim e clique no botão “Eu concordo (A)”. Se for solicitada a senha do administrador, digite-a ou apenas confirme a autorização;

vbox11

Passo 5. Aguarde finalizar o processo. No final, será exibida uma janela de confirmação. Clique no botão “OK”.

vbox13

Pronto.

Fonte: http://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/noticia/2013/03/descubra-como-instalar-o-virtualbox-e-seu-pacote-de-extensoes-e-facil.html

Posted in IFSP, Linux, Software Livre, Virtualbox | 1 Comment

Como instalar o VirtualBox [no Windows]

O VirtualBox é um programa que permite criar e gerenciar máquinas virtuais em seu computador. O software garante que um segundo sistema operacional rode em sua máquina, sem a necessidade de desinstalar o SO já existente no aparelho.

Instalando o VirtualBox

Passo 1. Faça o download do VirtualBox

Selecção_484

Passo 2. Vá para a pasta onde foi baixado o instalador e dê um duplo clique sobre ele;

vbox01

Passo 3. Na primeira tela do instalador, clique no botão “Next”;

vbox02

Passo 4.  Em seguida, é possível marcar ou desmarcar opções de instalação. Por padrão, o ideal é deixar como está e clicar no botão “Next”;

vbox03

Passo 5. Na tela seguinte, marque a opções referentes à criação do ícone do programa e depois, novamente, clique em “Next”;

vbox04

Passo 6. Agora um passo crítico: o instalador avisará que irá “reiniciar” as conexões de rede durante o processo. Caso tenha algum trabalho ou aplicativo usando alguma das conexões de rede, feche-o e depois clique no botão “Yes”, para continuar a instalação;

vbox05

Passo 7. Na próxima tela, clique em “Install”. Se for solicitada a senha do administrador, digite-a ou apenas confirme a autorização;

vbox06

Passo 8. Na última tela, apenas clique em “Finish” para finalizar a instalação.

vbox08

 

Fonte: http://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/noticia/2013/03/descubra-como-instalar-o-virtualbox-e-seu-pacote-de-extensoes-e-facil.html

Relacionados: Instalando o pacote de extensões (Extension Pack) do VirtualBox [Windows e Linux]

Posted in IFSP, Software Livre, Virtualbox | Leave a comment

Manual de Normalização para Apresentação de Trabalhos Acadêmicos

ManualdeNormalizacao

Fonte: http://www.unifacs.br/upload/biblioteca/ManualdeNormalizacao.pdf

Posted in IFSP, Normas ABNT, Trabalhos | Leave a comment

O que é o software Livre

flisol-infografia-2014

Fonte: http://flisol.info/FLISOL2015/MaterialGrafico

Posted in Linux, Software Livre | Leave a comment